Sobre




Marina Freitas Moura nasceu no Recife, na madrugada de 25 de janeiro, já chegou ao mundo atrapalhando alguém: quando seu padrinho levava sua mãe ao hospital atropelou outra grávida. Sempre gostou de experimentar comidas, menos as que combinavam nome e cor estranho como brócolis.
É estudante mas, nas horas vagas, gosta de escrever bobagens. Acredita que as melhores coisas se escrevem quando se está triste, por isso se conforma em não ser a melhor do ramo.
Ama filmes, principalmente os que não pode assistir no seu cotidiano e tem que lutar para encontrar em algum site ou blog. Além de filmes, gosta de seriados, em especial Grey's Anatomy e CSI Las Vegas, com certeza a maior razão dela gostar do CSI LA é a existência de Gil Grisson.
Gosta de café mas não curte chá. Ama escritores de todos os tipos que conseguem fazer com que ela se identifique de alguma forma. Vê poesia em todo lugar. Gosta de Ella Fitzgerald, MPB (com ênfase nos artistas de Pernambuco), Chico, Caê e Vitor Araújo.
Sorri por qualquer coisa. Ama fotografias, gosta tanto de tira-las quanto de edita-las. Perde muito tempo no computador e acredita na junção da física quântica com a filosofia espiríta.
Acredita em reencarnação e ignora os que dizem que espiritismo é uma religião do demônio sem nem saber do que se trata. Conhece pessoas pela internet, escreve poemas (ou tenta), joga nome lugar e objeto e ama jogar Uno e Letroca.
Gosta de sotaque português, e acha os franceses charmosos. Adora quando lembra dos sonhos e normalmente procura o significado deles na internet logo que acorda, mesmo que não acredite. Gosta de sorvete de flocos e de sushi. Não sabe desenhar, nem dançar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário