quarta-feira, 7 de dezembro de 2011


Essas madrugadas quentes de dezembro me lembram de você. Lembram-me que você fazia valer a pena passar essas madrugas acordada, pois me fazia sorrir. No vazio silêncio da noite a única coisa que eu ouvia era sua risada ao telefone, sua voz meio rouca que até hoje me deixa meio boba. Acho que não fomos feitos para ficarmos juntos. Nosso amor é feito de desencontros, não dura quando estamos juntos, mas quando só nos amamos sem sequer nos tocar ele permanece, permanece na saudade, no sonho de te ter por perto de novo, de te escutar falando besteiras até amanhecer, e discutir besteiras. Eu sinto sua falta, sentirei sempre. Você sumiu, e as recordações que ficaram deixo para ter nas madrugadas quentes de dezembro. 

- Marina Moura.