domingo, 31 de outubro de 2010

Verdades sinceras me interessam.


Sinceridade é o que realmente importa. No fundo quem não tem sinceridade não tem nada real, não sinceridade apenas de falar verdade 'na cara' de todos, e sim a Sinceridade de atos, é passar a sua essência pessoal para tudo que você faz, passar isso com sinceridade, fazer as coisa que você realmente gosta, sem se importar com o que as pessoas vão falar.
Afinal o mundo agora é um mundo 'pirata' pessoas se comprimentam como amigas de infancia mesmo se odiando. Esse mundo podre que parece ter sido contaminado pela falsidade. As pessoas não vivem, atuam como se o a reconpensa (vulgo 'status') fosse como o oscar, quem atuar melhor ganha a simpatia dos 'jurados' e ganha a estatueta, ou será que é status.
Esse mundo falso não me satisfaz, viver num mundo assim é como comer apenas McDonalds, não dá, a alma não se alimenta de coisas falsas e fúteis assim, se alimenta de sentimentos verdadeiros, atos verdadeiros. Afinal, ninguém tem um momento feliz quando se está interpretando.

- Marina Moura

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Vazio .


todos nós somos bons em fingir e mentir.
isso tudo para não olharmos as coisas como elas realmente são.
assim vamos fugindo da realidade, mentindo, fingindo e enganando.
como se realmente acreditássemos que isso é diversão de verdade,
como se não sentíssemos um vazio, que na maior parte do tempo passa despercebido,
já que é aliviado por coisas que nos distraem, e aos nossos olhos mostram-se como
diversão. mas, na verdade, tudo é um vazio.na maior parte do tempo usamos coisas futéis, objeto ou pessoas para convencermos a nós mesmo que somos bons em alguma coisa. Podemos até ser, mas, não confiamos em nossos próprio taco se os outros não confiarem, mas para não demonstrar isso, simplesmente fingimos, e sem nem perceber brincamos com os sentimentos dos outros, é só isso.