segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Febrão


Olhos ardendo, quartos doendo.
Olhos ferventes choram sem querer,
lágrimas quentes parecem ferver.
Sobre a pele quente qualquer brisa torna-se um temor,
Os pelos arrepiam-se, conservando o calor.
Meu peito parece latejar,
Gritando algo que não que mudar,
Nem amor, nem paixão,
Febrão.

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Love, Love, Love.


Pois é, pra quê? Me digam, por que motivo tentar descrever o amor?
Por mais que todo mundo tente, em poemas, fábulas ou fotos, ninguém chega lá, o amor é contagioso, e por mais adjetivos que sejam adicionados a ele ninguém pode definir a 'fórmula do amor'. Porque? Porque ele é assim mesmo, sem fórmula, afinal, amor não é uma regra, cada amor é diferente, cada um é uma excessão no meio de uma regra que os denominados 'especialistas' tentam fazer.
Cara amor não é algebra! Você não vai encontrar o amor da sua vida só porque viu em um horóscopo que o mês vai ser agitado em relação ao suposto amor, e muito menos vai saber se aquele menino combina com você ou não através de quantos pontos você marcou em um teste. E sabe o que é melhor? Por mais que você possa pedir conselhos a Deus e ao mundo em relação a um garoto você no fundo sabe o que vai decidir fazer.
Talvez isso seja o amor, é só um sentimento sabe, espontâneo e simples, como qualquer outro pode até ter adjetivos, ou coisas com o que possa ser comparado, mas no fim é só um sentimento. E como seres racionais e sentimentais que somos é bem difícil não experimentarmos ele algum dia.
No fim, todos tem sua própria visão do amor, acho eu, que essa visão é gerada por algum momento de prazer tão imenso que tal indivíduo o considera como o ápice do amor. Um beijo, um momento, uma música, um cheiro, um doce. Toda e qualquer coisa que lembre aquele momento, que mesmo sem ser lembrado por nada nunca será esquecido. Como algo pode ser tão simples e tão complexo assim em? Ai, o amor.

Comecemos do Começo.


Comecemos do começo, o começo em geral nos lembra infância. Infância não é algo ruim, acho que todo mundo sabe disso ?
Mas o que me intriga é ver como tantas pessoas falam coisas do tipo: "Ai amiga o Mário é tão infantil, vou acabar com ele". Isso é que me revolta, muitas pessoas usam o termo 'infantil' como sinonimo de mimado ou algo assim.
Tudo bem, muitas crianças por aí são bem mimadas, mas, acho que os maiores culpados nesses casos são os pais, enfim, o ponto que eu quero chegar é que: a infância é linda.
Na verdade crianças são criaturas lindas, muitas vezes tratamos-as como pirralhas ou coisas assim e não paramos para olhar o quão lindas elas são.
A inocência, esse é o ponto em que eu queria chegar, talvez um misto de inocência, curiosidade e amor. É isso! É isso que existe de belo nas crianças, talvez a infância se resuma a isso. Esses pequenos seres fofos conseguem ver o mundo de uma forma até bem mais evoluída do que muito 'adulto maduro' pensa ver.
Sabe, elas dão valor as pequenas coisas, sorriem por qualquer besteira, e não sentem vergonha disso. Elas são sinceras, e não fazem coisas por maldade. Isso é lindo, elas são o amor, as crianças são o amor em pessoas, são pingos de alegria andando por aí, e sem nem perceber aproveitam o melhor da vida simplesmente vivendo. Seria bom se ao menos um pouco dessa alegria permanecesse em nós para o resto da vida.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

sem nexo.

Minhas idéias estão borbulhando, minha mente está a ferver.
Elas vão e vem tão rápido, já não sei o que fazer.
Não sei como mostra-las ao mundo, nem o que fazer com elas, num segundo.
Não sei mais controlar meus pensamentos, que voam, loucos e absurdos a todo momento.
Meus pés ainda continuam no chão, mas não sei quanto tempo irão durar,
Já comprei a passagem, mas não sei onde chegar.
Minha imaginação já se desprendeu de meu corpo, que não sabe aonde vai,
ai, estou ficando tonta, onde vai esse belo rapaz ?
Onde vai não sei, mas segui-lo eu irei,
pois ele agora é dono de meus pensamentos,
meus ideais, minhas idéias, meus reis.
Agora eu toda lhe pertenço, mesmo sem saber quem é,
e num eterno vale extenso, com ele estarei de pé.

domingo, 31 de outubro de 2010

Verdades sinceras me interessam.


Sinceridade é o que realmente importa. No fundo quem não tem sinceridade não tem nada real, não sinceridade apenas de falar verdade 'na cara' de todos, e sim a Sinceridade de atos, é passar a sua essência pessoal para tudo que você faz, passar isso com sinceridade, fazer as coisa que você realmente gosta, sem se importar com o que as pessoas vão falar.
Afinal o mundo agora é um mundo 'pirata' pessoas se comprimentam como amigas de infancia mesmo se odiando. Esse mundo podre que parece ter sido contaminado pela falsidade. As pessoas não vivem, atuam como se o a reconpensa (vulgo 'status') fosse como o oscar, quem atuar melhor ganha a simpatia dos 'jurados' e ganha a estatueta, ou será que é status.
Esse mundo falso não me satisfaz, viver num mundo assim é como comer apenas McDonalds, não dá, a alma não se alimenta de coisas falsas e fúteis assim, se alimenta de sentimentos verdadeiros, atos verdadeiros. Afinal, ninguém tem um momento feliz quando se está interpretando.

- Marina Moura

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Vazio .


todos nós somos bons em fingir e mentir.
isso tudo para não olharmos as coisas como elas realmente são.
assim vamos fugindo da realidade, mentindo, fingindo e enganando.
como se realmente acreditássemos que isso é diversão de verdade,
como se não sentíssemos um vazio, que na maior parte do tempo passa despercebido,
já que é aliviado por coisas que nos distraem, e aos nossos olhos mostram-se como
diversão. mas, na verdade, tudo é um vazio.na maior parte do tempo usamos coisas futéis, objeto ou pessoas para convencermos a nós mesmo que somos bons em alguma coisa. Podemos até ser, mas, não confiamos em nossos próprio taco se os outros não confiarem, mas para não demonstrar isso, simplesmente fingimos, e sem nem perceber brincamos com os sentimentos dos outros, é só isso.